Sobre retomadas e feijões

Todo dia ensaio retomar a atualização do blog. E todo dia acontece alguma coisa que me impede (incluir preguiça nessa lista de acontecimentos).

Mas aí eu tô numa fase TÃO de revisão de tudo que me comprometi a fazer pelo menos um pouco do que eu gosto de verdade. E, né, o que eu gosto de verdade é cozinhar e comer e, sempre que possível, compartilhar aqui.

 

Aprendendo a fazer feijão

Aprendi com muitos blogs, especialmente com a inspiradora Pat Feldman, que grãos devem ser deixados de molho. Não para cozinharem mais rápido, mas porque o molho ajuda a eliminar parte dos gases que, depois, vêm parar na nossa barrigota.

Então, sábado à tarde, eu coloquei meus feijõezinhos de molho em água e gotinhas de limão (aprendi que o meio tem que ser ácido). E assim eles ficaram até domingo às 12h, ou seja, bastaaaante tempo pra água ficar toda espumosa (nojinho) com a liberação dos tais gases que não fazem bem pro nosso sistema digestivo. Dessa vez, especificamente, fiz duas trocas de água pois estava bem nojinho. Mas já teve vezes de não precisar e a água sair limpinha. Enfim.

Na hora de levar pra panela de pressão, lavei bem pra sair tudo aquilo, coloquei água o suficiente para cobrir e dobrar a altura dos feijões na panela e, novamente, gotinhas de limão (para não manchar demais a panela, dondicasa!).

Claro que cozinha bem mais rápido, porque o grão já está super hidratado do molho. Mas mesmo assim foi uns 25 minutos após pegar pressão.

 

Refogado

Pro feijão em si, coloquei, azeite, alho e uma folhinha seca de louro numa panela pra refogar (e então a casa foi inundada por aquele cheiro maravilhoso de comida de mãe, que é puro amor).

Não usei cebola porque ia congelar o feijão e, às vezes, acho que o sabor dela acentua demais na comida congelada. Mas não tenho embasamento, só achômetro mesmo.

Aí coloquei uma concha do feijão cozido e amassei um pouco, no próprio refogado, com o fundo da concha mesmo. Isso é um segredinho pra tornar o caldo grosso e ainda mais saboroso.

Coloquei a quantidade de feijão cozido que desejava preparar, sal conforme nosso gosto e deixei apurar pra ficar aquele feijão cremoso e delícia que eu bem amo.

feijão

 

Sopa

Quando cozinho o feijão, aproveito para preparar também sopa dele, minha preferida. Então, bati com o mixer, dentro da própria panela de pressão, o restante do feijão cozido sem tempero.

Acrescentei mais água, porque estava bem grosso, já que não tenho o hábito de coar. Coloquei bastante alho e cebola desidratados (pelo mesmo motivo que expliquei acima), sal, várias folhinhas de espinafre que eu já tinha higienizadas, picadas e congeladas (dá aquele adianto, né?) e macarrão conchinha e cabelinho de anjo (pq dois? Pq eu queria limpar a despensa, hahahaha, e tinha dois restinhos lá, pedindo a ir pra panela).

Deixa o tempo de cozinhar bem o macarrão e, pronto, virou sopa sabor de infância.

 

sopa

 

Pronto, voltei. Agora meu coração tá quase tão quentinho quanto essa sopinha ❤

Creme de abóbora com gorgonzola

13227734_1355898191093672_5418424382440830296_o.jpg

Rapidinho aqui porque algumas queridas pediram:

Cozinhe abóbora apenas na água. Usei duas embalagens de abóbora cabotia já descascada e picada porque habilidade pra isso descobri que não tenho 🙂

Quando estiver bem molinha (ou seja, desmanchando – leva uma meia hora no máximo, na panela comum), coloque no liquidificador com a própria água do cozimento. Vira um creme lindo!

À parte, na mesma panela que usou pra cozinhar, coloque uma colher de manteiga, meia cebola bem picadinha e refogue. Despeje o conteúdo do liquidificador neste refogado, mexa bem e ajuste a textura (se quiser mais cremoso, deixe apurar; se quiser mais ‘sopinha’, acrescente água ou leite e deixe ferver).

Depois de pronto, desligue o fogo, acrescente uma caixinha pequena de creme de leite e uma pecinha (daquelas de ~100g que vendem no supermercado já embaladinhas) de gorgonzola picadinho. Eis o creme mais confort e saboroso e quentinho e delícia da semana!

PS.: não usei sal pois o gorgonzola já é bem salgadinho, mas vale experimentar e adequar de acordo com seu paladar.

 

Espaguete com shimeji

 
Pra anotar rapidinho e fazer ainda hoje: meio pacote de espaguete integral, uma bandejinha de shimeji, uma colher de manteiga, quatro colheres de shoyu light, uma caixinha de creme de leite leve.

Numa frigideira, refogue o shimeji na manteiga por 2 a 3 minutos, acrescente o shoyu e, ao desligar, o creme de leite. Se achar necessário, acerte o sal. Incorpore esse “molho” no macarrão cozido al dente e pronto.

Mais fácil impossível e super confundível com amor 💛💛💛

Uma carne pra quem não sabe fazer carnes

Não sou boa pra carnes. Não sei fazer, não consigo limpar, não tenho ideias, nunca dá muito certo. Rola uma frustração aqui viu 😣

Mas testei uma receita que serve certinho pra pessoas como eu: bem fácil com cara (e sabor!) de elaborada. E o melhor: sem gordura extra nenhuma!!!

Usei uma peça média de fraldinha, que por deeeeus o marido limpou pra mim. Temperei com sal (fino mesmo), alho picadinho (daquele pronto), molho inglês (pode caprichar que combina super) e mostarda (idem).

Se tiver tempo, deixa essa carne temperadinha (é só alisar bem espalhando todos esses temperos nela) durante a noite na geladeira. Eu não tive (ah vá!) e ficou apenas uma hora (bom, mas certamente o tempero pode pegar mais).

Então o segredo: não é assada, é de panela de pressão. E sem água!! Sim, confia que dá certo dondicasa 😂

Basta forrar de cebola em fatias grossas a panela de pressão, colocar a peça de fraldinha com a gordura pra baixo e então cobrir de cebolas também. Foram cinco cebolas aqui pessoal, mas realmente são necessárias, pois o cozimento se dá na “água” delas.

É só isso. Nada de óleo, nada de água. Após pegar pressão, conta cerca de 45 minutos (eu abri antes pq sou dessas e acabei voltando mais uns 10 minutinhos). Fica macia, saborosa e quase caramelizada por causa das cebolas.

Recomendo fortemente pra quem, como eu, está em busca de carnes gostosas e práticas pra confundir com amor num almoço de domingo ❤️

Servi com um macarrão fácil também, ao molho de páprica, que é da receita de almôndegas assadas deliciosas que aprendi recentemente (quem quer receita?).

Jantar leve e mega fácil 

Agora, mais do que antes, preciso de duas coisas quando vou confundir comida com amor: praticidade e opções saudáveis. 

Um bebê de dois meses em casa requer que tudo o que não for cuidado com ele seja mega RÁPIDO. E uma mamãe que amamenta e tem muuuuuitos quilos a perder precisa de refeições leves e nutritivas.

Olha que dica boa pro jantar: peixe assado com purê de mandioquinha e brócolis ao alho.

Cozinhei um brócolis ninja orgânico no vapor e passei rapidamente no azeite com alho e sal rosa.

Cozinhei seis mandioquinhas na água, amassei com uma colher de sopa cheia de manteiga, sal, noz moscada e um pouco de leite desnatado.

Temperei os filés de saint-peter com sal e lemon peper (da Bombay) e levei ao forno numa forma forrada com papel alumínio e um pouquinho de azeite.

Ficou gostoso! 💚